A Festa das Yabás

A Festa das Yabás

A Festa das Yabás

A Festa das Yabás – 2017

Tamanho: 60 x 80 cm

Técnica: Acrílico e colagens sobre tela

A festa das Yabás é uma série que mescla distintas técnicas de pintura, como o dripping e pinceladas bruscas, com colagens de diferentes materiais e objetos.

A principal inspiração para essa serie foi a própria mãe do autor, Ivete Conceição de Oliveira (1956 – 2011), mulher, negra, semianalfabeta, que lutou durante 54 anos para alimentar e sustentar seus 4 filhos, e além disso ainda lutava para construir uma Bauru mais humana, pois trabalhou durante 10 anos apoiando a SAPAB – Sociedade de Apoio as Pessoas com Aids de Bauru.

Apesar do nome estar baseado em elementos das religiões de matriz Africana, a série tem como principal foco, a força, a luta e a beleza das mulheres negras. Essas mesmas mulheres, dentro dessas obras, incorporam as Orixás femininas mais poderosas na cultura da Umbanda e também do Candomblé.

A introdução da religião tem como objetivo, romper estigmas e tabus que ainda estão relacionados aos cultos de Matriz Africana, e também age como elemento de empoderamento, quando retrata as mulheres negras como deusas dentro de uma sociedade que ainda trata as mesmas com demasiada discriminação.

Além disso a série também discute alguns tabus que as mulheres, de uma forma geral, enfrentam, como a amamentação em público, questões de gênero e padrões de beleza. A festa das Yabás é uma celebração e exaltação a essas mulheres, negras, fortes, que lutam e resistem a uma sociedade preconceituosa e discriminatória.


Tiago Rosa – Bauru/SP – 1990

Natural de Bauru, onde vive atualmente, artista visual autodidata, trabalha principalmente com acrílico, mas possui trabalhos com técnicas mistas como colagens, fotografias, design gráfico e esculturas.

Em 2014 ingressou na faculdade de Arquitetura e Urbanismo da UNIMEP – Universidade Metodista de Piracicaba, no mesmo ano iniciou uma pesquisa cientifica financiada pela própria universidade, sobre Miguelzinho Dutra, importante aquarelista autodidata que viveu no interior de São Paulo durante o período oitocentista.

Em 2016 iniciou outra pesquisa cientifica, também financiada pela universidade, sobre o processo de projeto de arquiteturas efêmeras contemporâneas, paralelo a isso estudou prototipagem e fabricação digital na UNICAMP – Universidade Estadual de Campinas. Em 2016 também fundou a Arch & Art, coletivo online de artistas gráficos que desenvolvem trabalhos com arte e design.

Em 2017 ingressou na Universidad Católica del Norte, em Antofagasta, Chile, para um intercâmbio de um semestre no curso de Arquitetura e Urbanismo. No mesmo ano deu início a série de pinturas “A festa das Yabás”.

No momento trabalha no projeto Aminas No1, que inclue além de pintura e colagens, rayografia, fotografia e esculturas.

proacsp
prefeitura-bauru
cidade-movimento-bauru
top-fm
eme-d
secretaria-cultura-governo-sp