Universo Preto Paralelo

Universo Preto Paralelo

Universo Preto Paralelo

Universo Preto Paralelo – 2017

Documentário – 12 min

O vídeo experimental Universo Preto Paralelo trabalha apenas com material de arquivo, em sua grande maioria de domínio público. Utiliza-se, majoritariamente de fotografias digitais de imagens do séc XIX que retratam torturas impostas a pessoas escravizadas, sobrepostas a depoimentos dados a Comissão da Verdade que se propões a debater a tortura.

Um paralelo é traçado entre as violações de direitos humanos do passado escravocrata brasileiro e da ditadura militar a fim de debater tortura, formação de uma polícia e a construção dos heróis nacionais na historiografia brasileira.

Pelo enquadramento feito em cima das imagens já existentes, somados a sobreposições do áudio e montagem do filme, busca-se uma resignificação destas imagens, denotando o caráter de denúncia de seu tempo, mais ainda mostrando o quanto estas ainda são atuais. Ao revelar um modo de agir das forças repressoras a pessoas escravizadas, vê-se o quanto destas práticas de grande desrespeito aos direitos humanos ainda é muito é comum.

Faz-se pensar sobre a construção de heróis nacionais pela imagem e a história. O quanto se conhece sobre este passado? A quem estes foram heróis?

A ideia de apropriação permeia todo o filme, desde as imagens, áudios e mesmo seu nome, que vem da música de mesmo nome, autoria do rapper brasileiro Ba Kimbuta. Em todo o filme, existem apenas três canções e uma imagem que os direitos de uso em filme foram pagos e autorizados a usar pelos autores.


Rubens Passaro – Sorocaba/SP – 1986

Rubens Passaro trabalha com audiovisual e multimídias desde 2007. Mestrando em artes visuais pela Unicamp, tem a fotografia como tema de sua pesquisa.

Realizou as curtas-metragens documentais Di Melo – O Imorrível (2011) e Crack – Repensar (2015), e foi produtor e roteirista do curta Ser Campeão é Detalhe – Democracia Corinthiana (2011). Em 2008 teve seu media art Isto Não é Paranóia, exibido no FILE SP e FILE RJ.

É sócio da Tropeiro Produções, produtora cultural e audiovisual.

Expografia:

O material pode ser exposto junto de um monitor de 40 polegadas junto de um fone de ouvido, ou então em uma sala escura, com projeção de vídeo e caixas de som compatíveis com o local.

Direção, produção, pesquisa, roteiro e edição Rubens Passaro

Mixagem

proacsp
prefeitura-bauru
cidade-movimento-bauru
top-fm
eme-d
secretaria-cultura-governo-sp